21 anos de agronegócio, 21 anos de sucesso

Nos últimos anos, o Brasil passou de importador para um grande exportador mundial agrícola. Quebras de recorde de produtividade em diversos segmentos, avanço tecnológico e eficiência no campo foram alguns dos motivos que levaram o país ao status atual, que colabora para a economia e traz grande contribuição para a sociedade. No entanto, sabemos que este caminho não nasceu de uma hora para a outra.

 

No último sábado, 16 de janeiro, a Nutron completou 21 anos de história. E a empresa comemora o fato de ter sido constituída ao mesmo tempo em que estas importantes mudanças de produção e produtividade começaram a exigir mais competência.

 

“Desde o início tínhamos muito claro que, para termos uma posição de destaque neste cenário, teríamos que entender o produtor e procurar superar as suas expectativas. Além disso, trazer o conhecimento como o principal propulsor de progresso da empresa, combinado ao talento profissional para fazer chegar aos clientes o que entendemos como tecnologia diferenciada”, conta Mário Penz, Diretor Global de Contas Estratégicas da Nutron.

 

A população agrícola é menor do que 20% da população brasileira e, mesmo assim, possui capacidade para alimentar todo o mundo. A Nutron, por sua vez, também se prepara com consciência para ajuda-los a conquistar este objetivo. Com os melhores técnicos, preparados para pensar diferente, compreendendo sua responsabilidade na cadeia alimentar, a Nutron construiu uma base de conhecimento única, reconhecida a nível mundial, partindo do pressuposto de que o aprendizado nunca deve ser limitado.

 

Produtores, assim, se tornam parceiros contínuos e permitem que não só a empresa, mas  também o agronegócio brasileiro, encontrem espaço para crescer através de avanços e também das dificuldades.

 

Os próximos 21 anos se mostram animadores, mas necessitam de cuidado. A produção agrícola terá de aumentar para atender uma demanda mundial crescente, no entanto, as limitações de área e de água são alguns dos desafios que devem ser cada vez mais observados no futuro.

 

Paralelo a isso, os desafios impostos pela economia também exigem uma força maior dos produtores, mas o cenário mostra que os próximos anos devem ser de mais conquistas e novos conhecimentos para o agronegócio brasileiro. "É nestes momentos que temos a oportunidade para nos tornarmos ainda mais fortes. Devemos agir com cautela, mas também com sabedoria para aumentar a produtividade e os ganhos", aponta Celso Mello, diretor-geral da Cargill Nutrição Animal.

 

 

“Pensar fora da caixa, valorizar o conhecimento, acreditar no progresso conjunto e crescer sem esquecer dos princípios éticos serão indicadores importantes para os próximos anos. Se estas e outras premissas forem consideradas pelo Brasil, não há como não continuarmos confirmando nossa posição de liderança no agronegócio mundial. Temos tudo para continuar dando certo!”, finaliza Penz.

Nos últimos anos, o Brasil passou de importador para um grande exportador mundial agrícola. Quebras de recorde de produtividade em diversos segmentos, avanço tecnológico e eficiência no campo foram alguns dos motivos que levaram o país ao status atual, que colabora para a economia e traz grande contribuição para a sociedade. No entanto, sabemos que este caminho não nasceu de uma hora para a outra.

 

No último sábado, 16 de janeiro, a Nutron completou 21 anos de história. E a empresa comemora o fato de ter sido constituída ao mesmo tempo em que estas importantes mudanças de produção e produtividade começaram a exigir mais competência.

 

“Desde o início tínhamos muito claro que, para termos uma posição de destaque neste cenário, teríamos que entender o produtor e procurar superar as suas expectativas. Além disso, trazer o conhecimento como o principal propulsor de progresso da empresa, combinado ao talento profissional para fazer chegar aos clientes o que entendemos como tecnologia diferenciada”, conta Mário Penz, Diretor Global de Contas Estratégicas da Nutron.

 

A população agrícola é menor do que 20% da população brasileira e, mesmo assim, possui capacidade para alimentar todo o mundo. A Nutron, por sua vez, também se prepara com consciência para ajuda-los a conquistar este objetivo. Com os melhores técnicos, preparados para pensar diferente, compreendendo sua responsabilidade na cadeia alimentar, a Nutron construiu uma base de conhecimento única, reconhecida a nível mundial, partindo do pressuposto de que o aprendizado nunca deve ser limitado.

 

Produtores, assim, se tornam parceiros contínuos e permitem que não só a empresa, mas  também o agronegócio brasileiro, encontrem espaço para crescer através de avanços e também das dificuldades.

 

Os próximos 21 anos se mostram animadores, mas também exigem cuidado. A produção agrícola terá de aumentar para atender uma demanda mundial crescente, no entanto, as limitações de área e de água são alguns dos desafios que devem ser cada vez mais observados no futuro.

 

Paralelo a isso, os desafios impostos pela economia também exigem uma força maior dos produtores, mas o cenário mostra que os próximos anos devem ser de mais conquistas e novos conhecimentos para o agronegócio brasileiro. "É nestes momentos que temos a oportunidade para nos tornarmos ainda mais fortes. Devemos agir com cautela, mas também com sabedoria para aumentar a produtividade e os ganhos", aponta Celso Mello, diretor-geral da Cargill Nutrição Animal.

 

“Pensar fora da caixa, valorizar o conhecimento, acreditar no progresso conjunto e crescer sem esquecer dos princípios éticos serão indicadores importantes para os próximos anos. Se estas e outras premissas forem consideradas pelo Brasil, não há como não continuarmos confirmando nossa posição de liderança no agronegócio mundial. Temos tudo para continuar dando certo!”, finaliza Penz.

tudo sobre

Acompanhe
Clique e compartilhe