O Serviço de Informação da Carne (SIC) educando o consumidor

A carne bovina é um item obrigatório na mesa do consumidor brasileiro. O churrasco, parte fundamental de nossa cultura alimentar, reúne família, amigos e colegas em um ambiente de confraternização. A carne do dia a dia alimenta e traz a energia necessária para as atividades de todo cidadão. A paixão pela carne bovina suscita acalorados debates em todas as partes do Brasil.

Ainda assim, existe bastante desinformação e até mesmo dúvidas sobre a carne bovina. Devo consumila? Será que faz bem a minha saúde? A gordura contida na carne deve ou não ser saboreada? Devo seguir o exemplo de celebridades que alegam ter eliminado a carne vermelha de suas vidas?

Além das dúvidas quanto à decisão de consumo, é frequente também o desconhecimento dos preparos culinários mais adequados para cada corte, a forma correta de cortar a carne, a quantidade necessária para um churrasco, onde se localiza a mítica picanha na carcaça bovina.

Buscando criar uma forma permanente de informar ao consumidor e formadores de opinião sobre características, qualidades e benefícios da carne bovina, foi criado em setembro de 2001 o Serviço de Informação da Carne (SIC). Resultado da iniciativa dos principais representantes dos pecuaristas brasileiros, capitaneados pelo Fundo de Desenvolvimento da Pecuária de São Paulo (Fundepec-SP), Associação de Criadores de Nelore do Brasil (ACNB) e Associação Brasileira de Marketing Rural (ABMR), o SIC foi configurado como uma organização sem fins lucrativos e é até hoje custeado pela mensalidade cobrada de seus sócios, sem ter nunca recebido nenhum apoio governamental.

Os objetivos da entidade são melhorar o conhecimento do público em relação à carne bovina; divulgar informações corretas sobre a carne bovina, baseadas no conhecimento científico e voltadas tanto para os formadores de opinião como para os consumidores; orientar o consumidor na escolha dos alimentos; e esclarecer mitos e preconceitos sobre a carne vermelha.

A convicção de que era preciso criar um serviço de informações a respeito de carne bovina no Brasil veio de uma visita feita em 1999 ao Centre d’Information des Viandes (CIV), em Paris. O CIV é o centro francês de informações sobre carnes e desde 1987 vem sendo um mediador entre os profissionais do setor, os órgãos públicos e os consumidores. Vários outros países têm exemplos similares, como a Argentina, com o Instituto de Promocion de la Carne Vacuna Argentina (IPCVA); o Uruguai, com o Instituto Nacional de Carnes (INAC); a Austrália, com o Meat & Livestock Australia (MLA); a Bélgica, com o Vlaams Centrum voor Agro- en Visserijmarketing (VLAM); o Canadá, com o Beef Information Centre; e os Estados Unidos, com o Beef It’s What’s for Dinner (campanha da National Cattlemen’s Beef Association – NCBA), entre outros. Essas organizações têm um amplo escopo de atividades, como a promoção de carne bovina nacional ou internacionalmente; pesquisa e desenvolvimento de novos cortes ou receitas; informações segmentadas para públicos como médicos, nutricionistas, atletas, varejo, hospitais; e pesquisa de mercado e ações de educação para chefs de cozinha e consumidores.

A principal diferença é no financiamento: todas as entidades internacionais contam com uma taxa, advinda do setor, que custeia suas atividades. Há variações em cada país, porém de forma geral são taxados alguns elos da cadeia de forma permanente, como pecuaristas, frigoríficos, food service e varejo. O Beef Checkoff dos Estados Unidos, criado em 1985, recolhe, por exemplo, US$ 1 por cabeça a cada ato de comercialização do animal, seja domesticamente ou em gado, carne ou produtos cárneos importados. Em 2009, foram recolhidos do setor US$ 41,5 milhões, investidos nas mais diversas ações.

O SIC colhe belos frutos de seus nove anos de atuação, tendo investido o valor de R$ 1,5 milhão até hoje recebido em ações de comunicação e educação para diversos públicos. Foram elaborados e distribuídos mais de 1,5 milhão de impressos aos mais diversos públicos, tratando de:

  • orientações de compra, manipulação e higiene;
  • mapa dos cortes bovinos;
  • comparação nutricional dos cortes do dianteiro e do traseiro;
  • livro de receitas com carne bovina; aproveitamento do bovino nos mais diversos setores industriais;
  • informações sobre a cadeia produtiva da carne para crianças.

Além dos materiais impressos, o SIC realiza cursos de forma permanente, educando consumidores em geral sobre preparo do melhor churrasco, cortes bovinos, manipulação e higiene da carne. Já foram realizadas apresentações esclarecedoras para médicos, nutricionistas, cardiologistas e culinaristas. A newsletter mensal com informações já teve quase um milhão de leituras. Os contatos com a imprensa do agronegócio e geral são constantes, tendo sido geradas inúmeras matérias de jornal, revistas e televisão nesse período. O site www.sic.org.br é seu principal portal de informações, contendo desde o mapa dos cortes até as perguntas mais frequentes e artigos técnicos mais aprofundados.

O exemplo do SIC na carne bovina pode ser seguido por outras commodities alimentares no Brasil. Ainda que os recursos obtidos até hoje não tenham permitido ações de maior vulto, como as grandes e tão sonhadas campanhas publicitárias, a entidade firmou-se como um ponto de contato para imprensa, médicos e consumidores, exercendo suas funções de educação, informação e esclarecimento. As dúvidas e os mitos sobre a carne bovina podem ainda não ter acabado, tanto nacional quanto internacionalmente, porém no Brasil há uma organização realizando o melhor trabalho possível para manter a carne bovina como parte fundamental de uma alimentação equilibrada.

DIRETORIA DO SIC

Presidente

Otávio Cançado

Vice-presidente de Marketing

Miguel Bueno

Vice-presidente Financeira

Andréa Veríssimo

Vice-presidente Executiva

Fabiana Donato Aviles

Conselheiros

Marcus Vinicius Pratini de Moraes, Carlos Viacava, Jovelino Carvalho Mineiro Filho, Cesário Ramalho da Silva, Antenor de Amorim Nogueira, José Olavo Borges

Sócios do SIC

  • Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec)
  • Associação Brasileira de Angus (Angus)
  • Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ)
  • Associação dos Criadores de Brahman do Brasil (ACBB)
  • Associação dos Criadores de Nelore do Brasil (ACNB)
  • Central Bela Vista
  • Elanco Saúde Animal
  • Fórum Nacional Permanente da Pecuária de Corte (CNA)
  • Grupo JBS
  • Grupo Marfrig
  • Grupo Rubaiyat
  • Andréa Veríssimo

    Andréa Veríssimo

    Elanco Saúde Animal.

Acompanhe
Clique e compartilhe